5 de fev de 2016

CUIDADO COM AS SUAS PALAVRAS! TODA AÇÃO, GERA UMA REAÇÃO!



Hoje a ciência médica vem confirmar que nossas aspirações movimentam energias para o bem ou para o mal. A psiquiatria, a neurologia, a psicologia, enfim, toda a gama da medicina psicossomática, nos mostra hoje de forma muito clara que a mente é um incessante gerador de força, através dos fios positivos e negativos que passam pelo sentimento e pelo pensamento produzindo a palavra, descarga eletromagnética, regulada pela voz, que em todos os campos de atividades tonaliza a exteriorização reclamando apuro de vida interior, de vez que a palavra, depois do impulso mental, vive na base da criação; é por ela que os homens se aproximam, se ajustam ou desajustam para a resposta que lhes compete... 

Daí o cuidado que devemos ter com o que falamos, pensamos e sentimos, porque é através dessa tríade que se cria o ambiente para que se processe o bem ou o mal. São eles detentores de toda essa força porque nascem no espírito, o verdadeiro centro de energia. Todo e qualquer sentimento possui alta carga de ondas geradoras do bem ou do mal. E é por isto é que enquanto estamos exercendo a caridade ou fazendo outras coisas edificantes, nosso organismo produz moléculas especiais (neuro-pepitídios) que enriquecem a imunologia do nosso corpo, muitas vezes propiciando a cura de nossas enfermidades. 

Por outro lado, quando fazemos coisas imorais, sentimos raiva, revolta e sentimentos afins, as moléculas fazem o caminho contrário, podendo, a curto ou longo prazo, estabelecerem-se as mais variadas moléstias. É por isto que quando nossa fala se impregna de cólera, acionamos perigoso curto-circuito de nossas forças mentais, pois arremessa raios destrutivos para onde nosso pensamento a dirige, sempre lembrando que esses efeitos atingem principalmente a fonte que o gerou, porque... 

“Todo bem que fazemos, todo mal que cometemos, eleva-se à alma do mundo e, como uma imã, retorna ao lugar donde partiu”. Em tais ocasiões, damos vazão às forças deletérias que passam a nos dominar, e se não encontramos pessoas com o material isolante da oração ou da paciência, o desequilíbrio de nossas energias provoca a cegueira de nossa mente, arrojando-nos a sensações baixas, e podemos descer, quase sem perceber, a infelizes experiências da animalidade inferior e suas conseqüência. Indiscutivelmente atraímos pela palavra, pensamentos e sentimentos, outras mentes, encarnadas ou não, mas de igual sintonia vibratória e nível moral que o nosso. É por isso que... “Cada um tem a companhia que merece, e sofre as influências a que se abre”. E, ainda que essas escolhas não se efetuem deliberadamente, elas são atraídas pelo imã de um magnetismo que nos é inerente, porque, indiscutivelmente estão ao nosso redor aqueles que sintonizam conosco (ou têm contas a ajustar). 

Por toda essa força magnética e poderosa que geramos, e Kardec nos incentiva a fé racionada, que é o grande poder concedido por Deus ao homem, porque reúne a força magnética do pensamento, da vontade e da palavra, buscando a comunicação direta com Deus e com a Espiritualidade Maior. Cada prece, tanto quanto cada palavra ou desejo, se caracteriza por determinado potencial de freqüência. Felizmente, por graça de Deus todos estamos cercados por “Inteligências” capazes de sintonizar com o nosso apelo como verdadeiras estações receptoras. 

Assim sendo, se falamos ou desejamos coisas boas, sintonizamos e acionamos energias espirituais igualmente boas, Ação e Reação das Palavras que nos intuem e a até socorrem; se falamos ou desejamos coisas ruins, nos ligamos de imediato a certas mentes estagnadas na ignorância, que se fazem instrumentos de nossas baixas idealizações, podendo mesmo, pela força da sintonia que então passamos a vincular, tornarmo-nos deploráveis joguetes de seus desejos. 

Daí nossa responsabilidade em analisar melhor nossas escolhas, em qualquer problema ou situação do caminho que nos é dado percorrer, porque se fazendo ou não acompanhar pela palavra os pensamentos voarão adiante de nós, podendo atrair e plasmar o desejo formulado, que podendo alcançar o outro, nos alcança em primeira instancia, porque a vida sempre nos responderá segundo nossa solicitação. 

Por isto nos avisou o Mestre: “Orai e Vigiai”. De nada vale fugir às responsabilidades; a colheita do que plantamos não será jamais transferida a ninguém, porque sempre... “O resultado do que fazemos nos espera mais adiante”. 

Doracy Mércia Azevedo Mota

3 de fev de 2016

O sentido da oração



Você sabe qual é o verdadeiro sentido da oração? Um dos erros que mais percebo é que muitas pessoas pensam que não há relação alguma entre Deus e prosperidade. Minha visão de Deus, na infância, também era mais ou menos assim. Uma associação de virtude com pobreza.

A energia no Universo é infinita, e essa mesma energia está em você, em mim, em cada um de nós. Nós, como filhos de Deus, temos o poder de manipular essa energia a nosso favor. Não há nada mais forte e poderoso na Terra do que o espírito imortal.

A natureza obedece cegamente às Leis que a regem. Sempre. Sem escolha. Nós, pelo nosso livre-arbítrio, podemos escolher, crear, nos desenvolvermos em todos os sentidos.

É uma pena que apenas uma pequena parcela da humanidade esteja apta a perceber que tudo no Universo é energia, e que temos poder sobre essa energia. Com Vontade determinada, temos o poder de mudar a nós mesmos e ao ambiente em que vivemos. Talvez a maior preocupação das pessoas em geral seja com os bens materiais, com o dinheiro. Como a maioria das pessoas perdeu a confiança em si mesma, não é coisa muito fácil modificar sua situação econômica.

No entanto, a Vida está cheia de exemplos de pessoas que superaram as próprias dificuldades materiais graças à mudança no padrão de pensamentos.

Para tudo na vida as Leis de Deus são o guia seguro. Observe uma por uma das pessoas que superaram situações de pobreza material e verá que elas transformaram pensamentos vitoriosos em ação. Muita ação. Estamos neste planeta para agir. Orar e se queixar da sorte não resolve nada. A oração e os pensamentos construtivos devem ser acompanhados de ação, disciplina, persistência e determinação.

Isso tanto vale para a reforma íntima quanto para as questões materiais. O Universo é energia abundante, a Natureza é pródiga e abundante. Tudo o que precisamos já existe, inclusive os bens materiais que almejamos. A parte mais difícil já foi feita, que é a invenção das coisas que nos facilitam a vida. Todo o conforto, todos os recursos tecnológicos que conhecemos estão à nossa disposição há pouco tempo.

Você não precisa ser um gênio e criar aparelhos para a sua comodidade. Eles já existem. A Natureza entrou com os recursos, o homem participou com a invenção. A você compete apenas adquiri-los a custo do seu trabalho.

Recebe quem está aberto para receber. Isso vale para a paz, para o amor, para os ensinamentos, para os recursos materiais. O planeta nos oferta tudo de que precisamos em nosso estágio evolutivo. Com as mãos fechadas você não receberá nada. É preciso estar receptivo, é preciso estar com as mãos em concha, disposto a receber.

Esse é o sentido da oração, da comunhão com Deus. Deus sabe do que precisamos. Quando oramos, não estamos informando Ele sobre nossos planos. Ele sabe disso tudo. Quando oramos estamos nos predispondo a receber, estamos entrando num estado de receptividade, de passividade, de aceitação. Quando oramos criamos em nós mesmos as condições necessárias para atrair o que pedimos.

Se prosperidade não estivesse nos planos de Deus, a Natureza não seria tão abundante. Não há nada de mal nas conquistas materiais. O mal não está em possuir bens, mas em ser possuído por eles.
 http://www.espiritoimortal.com.br

2 de fev de 2016

Reforma íntima e a preguiça



Os que me acompanham há mais tempo sabem que eu escrevo à frente dum espelho. É pra lembrar que escrevo, em primeiro lugar, pra mim mesmo. Acho que o maior adversário da reforma íntima que precisamos fazer é a preguiça.

Não sei o quanto você conhece, o quanto você sabe. As coisas da espiritualidade são uma fonte de aprendizado inesgotável. O Espiritismo, particularmente, é um campo de pesquisa e estudo vasto e rico. Por isso disse que não sei o quanto de conhecimento e experiência você tem. Não importa.

Você acredita em reencarnação, você aceita os fatos da mediunidade mesmo sem ser médium ativo, você crê na bondade e misericórdia de Deus. Que bom!

No entanto, não basta crer. É preciso agir. Por menos que você saiba é bem provável que você saiba mais das coisas do Espírito do que a maioria das pessoas com quem você convive no dia-a-dia. Por menos elevado que você seja, e é bom que se reconheça isso, tudo indica que você esteja mais preparado moral e espiritualmente do que a maior parte das pessoas do seu círculo de convívio.

Isso aumenta a sua responsabilidade. Quanto mais conhecimento, maior é a obrigação de colocar em prática o que se sabe. Quanto mais se aprimora espiritualmente, maior é a responsabilidade perante os outros.

Se você se dedica às coisas do Espírito, é natural que você acabe contando com a simpatia e o amparo dos espíritos trabalhadores. Quanto mais você se dedica ao conhecimento e à reforma íntima, mais aumentam os seus contatos e a sua intimidade com espíritos superiores a nós.

Se você faz dessa busca de aperfeiçoamento algo que tenha um espaço significativo em seu cotidiano, você começa a beneficiar as pessoas que estão à sua volta. Se você está um pouco mais elevado que aqueles que o cercam, você passa a agir como fator de equilíbrio nos ambientes que frequenta.

Observe o grau de influência que o seu estado de espírito exerce no seu ambiente de trabalho ou estudo. Note como o seu humor atinge as demais pessoas, veja a responsabilidade que os seus pensamentos têm na harmonia geral.

Sua influência aumenta se você desenvolver a disciplina com a espiritualidade. O ideal é que o contato com as coisas do Espírito aconteçam todos os dias; ou, pelo menos, nos dias úteis, nos dias de trabalho. A oração, a meditação, a leitura edificante, o seu contato deliberado com a espiritualidade superior deve ser diário.

Isso pode parecer difícil, mas não é. Serão alguns minutos do seu dia. Você define o tempo. Você pode dedicar cinco minutos pela manhã, cinco minutos ao meio-dia e cinco minutos à noite. Já é um ótimo começo. Se você não puder cumprir esses horários, estabeleça outro que possa cumprir. O importante é fazer disso um hábito, uma disciplina que faça parte da sua vida.

Acredito que algumas pessoas não têm tempo, ou não têm um horário fixo que possa ser dedicado a isso. Entendo que muitos não estão preparados pra isso, não conseguem ver nessa prática algo que tenha algum valor real.

Mas sei que há muitas pessoas que consideram essa disciplina importante e não conseguem convencer a si mesmas, não conseguem se impor um compromisso, não conseguem vencer a preguiça. Se for o seu caso, saiba que a preguiça é um mal terrível, que deve ser combatido imediatamente. A preguiça é pior do que muitos maus hábitos. Pessoas decididas conseguem transformar um mau hábito num
bom hábito. Vencer a preguiça geralmente dá mais trabalho, pois a pessoa “se perdoa” por ser preguiçosa.

Você tem responsabilidade sobre os que convivem com você. Você tem conhecimentos que eles não têm. Seja disciplinado, mantenha bons hábitos e aja como um instrumento de Deus.

- See more at: http://www.espiritoimortal.com.br/category/mais-lidos/page/2/#sthash.lfQSWLpp.dpuf