14 de mai de 2015

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER! VIVEREMOS EXPERIÊNCIAS EM AMBOS OS SEXOS!



Dia destes uma amiga me confidenciou que estava preocupada, pois tudo que digo nos livros ou nas palestras acaba se transformando em realidade. Disse a ela: fique tranqüiila, alegre-se até; pois tudo que está em andamento é para melhor: uma bela faxina. Não sou arauto de catástrofes nem tenho o dom da premonição; as colocações obedecem a um mínimo de observação primária, reflexão e dedução lógica - coisas bem básicas, ao alcance de qualquer um. Claro que o ideal seria uma transição amena e inteligente de um mundo de provas e expiações para regeneração. Mesmo no que se relaciona ao aumento das agressões físicas o processo em si não é de todo negativo, ocorre que as máscaras estão caindo uma após outra. 

Lendo a notícia: as notificações a respeito de agressões a mulheres aumentaram mais de cem por cento em 2014 e só nesta última semana foram 4 mortes só no Rio de Janeiro. Isto está relacionado á previsão de aumento da violência física causada pela nossa ainda forte tendência á agressividade que submetida aos impulsos se materializam como ocorrências; ainda mais reagimos a estímulos do que agimos com consciência. Conforme colocamos em artigos correlatos: a aceleração nestes dias turbulentos está colocando em evidência nossa tendência bipolar. Luz e sombra vão travar um intenso combate na intimidade de nossa alma - nossa capacidade de contenção vai desabar; colocando á mostra a real condição de evolução espiritual de cada um ... Uma previsão básica para os próximos meses: multipliquem tudo isso por dez (talvez não, pois os homens já estão conseguindo chorar ... ). 

A Lei Maria da Penha, criada no dia 7 de agosto de 2006, já mandou para atrás das grades muitos homens que agridem mulheres. Mas, pasmem, essa lei aumentou em apenas 20% o índice de denúncias - a maior parte das agressões fica acobertada pelo medo. Pior: mais de 90% das denunciantes não leva adiante o processo, desejam apenas dar um susto nos maridos ou companheiros; simploriamente acham que o "cara" vai ficar com medo ou vergonha de agredi-las (agressão física) novamente. O que leva essas mulheres a continuar suportando todo tipo de humilhação, ameaças e agressões? A dependência sentimenntal e financeira (esta está diminuindo, pois segundo as últimas estatísticas quase 60% das famílias brasileiras são mantidas economicamente pelas mulheres). A maior parte dessas mulheres possui filhos com seus agressores, são de baixa renda e sem estudo. Elas têm medo de passar fome se colocarem o chefe de família na cadeia. 

As características mais comuns dos agressores são o machismo e a dependência química: medicamentos, álcool e drogas. Claro que a Lei ainda da não é aplicada de forma plena, isso se explica pelo estilo de formação da sociedade brasileira; pois de policiais a juízes o conceito machista ainda predomina e até em crimes covardes como o estupro a vítima passa por humilhações até no momento de prestar queixa. 

Neste artigo vamos apenas brincar de gerar dúvidas e questionamentos; atirando para o alto, carapuças; que veste quem deseja e quer. Nada de receitas nem soluções. 

Quem se conduz pela crença de vidas sucesssivas, sabe que todos viveremos as experiências necessárias à evolução do Espírito em ambos os sexos. Ontem mulher hoje homem, caso nos atraapalhemos nessa matéria viveremos a experiência da dualidade. A lei de causa e efeito ou retorno é indiscutível; para quem quiser negá-la: boa viagem para mundos desconhecidos ... 



Qual a importância da Lei Maria da Penha? 

Ela é boa ou ruim? O que aconteceria se ela fossse aplicada ao pé da letra hoje? Será que muitos homens teriam de ficar trancafiados e que suas mulheres os visitassem apenas para satisfazer necessidades? Será que a culpa nos casos de agresssão é apenas da falta de qualidade evolutiva dos homens? Que tal inserir no histórico da agressão se a mulher estava na TPM? (TPM é doença ou problema de evolução espiritual? - já colocamos essa dúvida em artigos. E se nos casos de agressão fosse feita uma análise dos motivos pregressos. Imagine um "cara" que nunca foi ensinado a respeito das diferenças entre comportamento de homens e de mulheres e trabalhar sob a ação de um chefe que o maltrata, fazendo um trabalho que odeia e que ao chegar em casa para se refazer depois de tantos empurrões para conseguir lugar na condução; é obrigado a ouvir uma ladainha de maritaca a respeito de tarefas que competiam à outra parte fazer. Como silenciar a fera? Na pancada? 

Não é preciso ser adivinho para afirmar que as agressões às crianças e mulheres devem aumentar; pois as condições de vida e de trabalho não sinalizam mudanças positivas. Claro que muito pode ser feito na área dos direitos humanos como a recente "Lei Seca"; pois se realmente aplicada, ao menos os acidentes de trânsito e as agressões às mulheres de classe média vão diminuir. Já para restringir o número de agressões nas classes mais pobres seria preciso disciplinar a venda de bebidas ou fechar os bares após as 22 horas como foi feito na cidade de Diadema; claro que não haverá vontade política nem clima social para atitudes desse tipo; dessa forma, nós devemos nos preparar para um aumento da violência social e familiar. Tudo bem, esses agressores devem ser punidos com prisão. Mas, e quando eles saírem, terão se formado em "bandidagem" na cadeia? Conseguirão arrumar emprego? Provavelmente nunca mais; pois as empresas têm acesso aos antecedentes dos candidatos. Voltarão felizes para casa? A relação familiar vai melhorar? - Só se acreditarmos em conto de fada. Realmente a situação é preocupante ou deveria ser. 

Solução? 

O único caminho é a educação baseada em Jesus e seus ensinamentos. 

Com certeza a Lei Maria da Penha, somada às aquisições do Estatuto da Criança e do Adolescente nos ajudarão a atingir uma Nova Era; desde que os executores dessas leis não sejam pessoas que apenas executem as normas sem prazer no que fazem. 

Antes de terminar quero lembrar aos leitores que há uma Lei da Vida que deve ser compreendida, sejamos vítimas ou algozes da Lei Maria da Penha: todas as agressões em pensamento serão punidas pelo Divino Juiz - nossa própria consciência. Fica o alerta: é preciso vigiar cada dia mais nossos impulsos e tendências, pois ninguém está imune a perder a cabeça quando menos espera. Demorei a entender em verdade uma das afirmações de Jesus que diz mais ou menos o seguinte: 

No final dos tempos, aquele que pouco tem vai perder tudo e aquele que muito tem vai conquistar mais ainda - parece injusto se observarmos pela ótica das coisas materiais, mas se observarmos pelo lado das conquistas espirituais, fica mais fácil entender. Imagine uma pessoa com 40% de paciência já adquirida - nestes tumultuados dias de hoje perderá tudo em pouco tempo, tantas são as contrariedades, problemas e dificuldades 

- mas, outra pessoa que já tivesse uns 60% usaria essas mesmas dificuldades e contratempos para aumentar e fortalecer sua paciência.

Jornal Espírita

Nenhum comentário:

Postar um comentário